sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Uma Rapariga Regressa de Noite Sozinha a Casa


Toto, já não estamos em Teerão

JORGE MOURINHA   10/09/2015 - 06:15

Uma estreia cheia de estilo a meio caminho entre o Ocidente e o Oriente.

Uma Rapariga Regressa...: muito estilo, pouca substância

A estreia na realização de Ana Lily Amirpour bem pode ser anunciada como o “primeiro filme de vampiros iraniano”, mas Uma Rapariga Regressa Sozinha de Noite a Casa foi inteiramente rodado nos EUA com um elenco de actores americanos de ascendência iraniana ou de iranianos expatriados.


É por aí que se explica a sedução deste objecto bastante singular onde se cruzam as influências das fábulas persas, dos comic books e do cinema indie americano, algures entre a Sin City de Frank Miller, a estilização existencialista de Jim Jarmusch, o amor desenrascado pelo género de Robert Rodriguez e a gravitas adolescente do rock indie-gótico dos anos 1980 (nem por acaso, Ana Lily Amirpour nasceu em Londres…). Algures entre a homenagem reverente e o pastiche, Uma Rapariga Regressa Sozinha de Noite a Casa é um filme com muito mais estilo do que substância — mas o estilo é tão bom, e tão conseguido, que só por ele vale a pena a visão.







Uma Rapariga Regressa de Noite Sozinha a Casa

Título original:A Girl Walks Home Alone at Night
Género:Terror
Classificação:M/16
Outros dados:EUA, 2014, Cores, 101 min.




Sem comentários:

Enviar um comentário